nma-16429.blogspot.pt é o meu novo blog. Seleccionem o link correspondente na coluna da direita e visitem-me!

domingo, 18 de julho de 2010

Alguém sabe o que é o «S.I.T.R.E.P.»?

Hoje pedi ajuda a um dos sargentos da Companhia 8 para me ajudar a conferir a lista, na tentativa de ver o problema resolvido de uma vez por todas. Qual quê, fiquei ainda pior do que estava!
Há nomes que sobram, há nomes que faltam, uma tremenda confusão!
Aconselhou-me ele a arranjar uma Junta de Freguesia que envie um ofício ao chefe da 3ª Repartição da Direcção dos Serviços de Pessoal, em Alcântara, pedindo uma relação de todo o pessoal que constituía a CF8. Diz ele que, recorrendo ao S.I.T.R.E.P. eles poderão fazê-lo sem qualquer dificuldade. Eu arregalei os olhos de espanto e perguntei-lhe:
- O que é isso?
E ele respondeu-me com outra pergunta que, sou obrigado a reconhecer, tem toda a lógica:
- Como achas que a correspondência de cada um de nós, através do SPM, ia direitinha até ao lugar onde nos encontrávamos, fosse ele qual fosse?
Respondi-lhe que não fazia a mínima ideia e ele atalhou de imediato:
- Recorrendo ao S.I.T.R.E.P., é claro!
Perguntei-lhe a que correspondem as letras dessa sigla e ele também não me soube responder. Depois de desligar o telefone, lancei-me nas pesquisas, usando o motor de pesquisas Google, e descobri que a sigla não é mais que a abreviatura das palavras inglesas «Situation Report», o que faz todo o sentido.
Como todos sabem, na página 15 da nossa Caderneta Militar, cujo título é «Situações» era anotado o nome da Unidade onde estávamos a prestar serviço. A mudança de situação era sempre publicada na Ordem do Dia, o que constituía um «situation report», no verdadeiro sentido da palavra.
Para poderem responder ao meu pedido, teriam que manter um registo actualizado, em permanência, de todas as Unidades de Marinha. E ter esses registos guardados até hoje, em qualquer lugar. Será?

11 comentários:

  1. Não estarão esses documentos guardados no Arquivo Central e Histórico da Marinha no edifício da antiga Coordenaria Nacional na Junqueira?
    Fui lá uma vez para pedir a listagem da minha Recruta, e tinham lá esses documentos.
    Um abraço Virgilio

    ResponderEliminar
  2. caramba q legal! eu sempre ouvia dizerem "sitrep" no modern warfare 2 e num sabia o que era
    agora vejo q significa, em portugues, um relatório.

    ResponderEliminar
  3. Não sei bem o que vos ensinam na marinha...

    No exército:

    Pontos desenvolvidos no SITREP:
    * Identificação do Pelotão
    * Localização – Identificação exacta do local onde se encontra o pelotão através de coordenadas, pontos de referência, etc.
    * Actividade – Qual a acção que o pelotão está a desenvolver.
    * Prisioneiros de Guerra – Inclui o número de inimigos, feitos prisioneiros de guerra e informações sobre o material capturado.
    * Baixas – Mortos e feridos graves (com necessidade de evacuação), quer das nossas tropas quer do inimigo, (especificar o número).
    * Munições/Material – O número de munições, que o pelotão necessita para ficar a 100%, (indicar um número aproximado); inclui também granadas de mão, LAW’S, granadas de LG – 40mm e outros.
    * Outro material, tais como armas e outros equipamentos específicos, são incluídos neste ponto.

    ResponderEliminar
  4. Senhores é um termo em Inglês:
    "Situation Report" - SitRep

    Relatório da Situação

    CT(EN) Sargentini - Reserva

    ResponderEliminar
  5. É bom saber que um ano depois ainda há quem leia estas antigas mensagens!
    Pena é eu continuar a não saber se existem ou não e em caso afirmativo onde estão arquivados os "Situation Reports" relacionados com a Companhia Nº 2 de Fuzileiros.

    ResponderEliminar
  6. Caros amigos, Fui radiotelegrafista numa comp. OP no Exército - Guiné JAN72/ABR74. Diariamente o Cap. da comp. teria obrigatóriamente de enviar para a sede do BART o relatório do que se passava no dia-a-dia, era o que se chamava de SITREP ou seja relatório de situação, era a partir destes relatórios para mais tarde se publicar a HISTÒRIA DO BATALHÂO.

    Sousa de Castro

    ResponderEliminar
  7. Muito obrigado pela sua participação e esclarecimento!
    Isto é um blog a funcionar na perfeição com comentários a aparecer quase seis anos depois da publicação da mensagem.

    ResponderEliminar
  8. Cheguei aqui nem sei bem como. Aí em cima já alguém deu uma explicação aproximada.Fui militar no exército no Serviço de Reconhecimento de Transmissões (mais conhecido por "cripto".
    Para melhor compreensão vou colocar o caso de Angola:
    0 território estava dividida em várias ZI (zona intervenção). Havia a ZIN (norte), ZIL (leste) etc.
    Em cada zona de Intervenção havia um Comando de Sector que nos casos que conheci era comandado por um Brigadeiro. Em cada Comando de Sector havia um ou mais Batalhões com as respectivas Companhias espalhadas pela dita Zona de Intervenção.
    Todos os dias às Companhias mandavam uma mensagem cifrada para o seu Batalhão com todas as ocorrências relevantes. O Batalhão depois dé conhecer todas as ocorrências das respectivas Companhia enviava em msg cifrada para o Comando da Zona de Intervenção e é aí que surge o SITREP, que é toda a actividade de uma dada Zona de Intervenção que é enviada sempre em cifra como é evidente para o QG, que como se depreende era em Luanda.

    ResponderEliminar
  9. É bom saber que, ao fim de 6 anos, ainda há quem leia aquilo que escrevi!
    Como diz o Adelino, SITREP é a abreviatura de Situation Report (relatório da situação, em português) e aplicava-se em várias situações. Nos fuzileiros, em Moçambique, era enviada regularmente ao Comando Naval por cada comandante de unidade no terreno.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com a minha leitura, 7 anos agora, camarada! Excelente "post" (POST = Power On Self Test).

      Ass.: Um Fuzileiro Brasileiro.

      Eliminar
    2. É verdade, fuzileiro brasileiro, 7 anos e quase 3 meses!
      E nada nos garante que seja o último comentário!

      Eliminar